Papel: tipos e aplicações

O substrato, ou também chamado suporte, é o item principal na impressão, pois é nele que a arte e o design se concretizarão. O papel é o substrato mais usado, tanto em impressos editoriais quanto promocionais.

Características do papel

PESO – GRAMATURA: a gramatura é o peso de uma folha do papel de 1m², ou seja, uma folha de 1m x 1m.

Exemplo: Couchê 80g. Isto significa que uma folha de 1m x 1 m deste papel pesa 80g.

A gramatura define o peso e volume final do impresso, o que altera os custos tanto na impressão, quanto na distribuição (principalmente via correio).

FORMATO: quando bem definido, o formato proporciona melhor aproveitamento do papel, evitando desperdícios. Então, antes de iniciar o projeto, pense no formato de papel que reduzirá custos e também impactos ambientais negativos com os resíduos.

COR: o grau de opacidade e alvura determinam a aplicação do papel, sendo que toda cor aplicada pode sofrer alteração de acordo com o tipo de papel utilizado. Papéis com bom grau de alvura são usados para reprodução de policromias. Papéis levemente amarelados e com alto grau de opacidade são indicados para livros de leitura.

TEXTURA: o aspecto da superfície do papel (lisos, texturados, calandrados, entre outros) e o grau de rigidez são características da textura. Cada tipo de impresso pode necessitar de uma textura diferente, de acordo com o esperado no resultado.

 

Tipos de Papel e Aplicações

ALTA PRINT: papel offset da melhor qualidade da categoria, com alta lisura, brancura e opacidade. Utilizado em impressões com imagens por oferecer a melhor qualidade de impressão e definições de imagens.

CAPA TEXTO: papel com aparência artesanal. Indicado para miolo e guarda de livros.

CARTÃO Duplex: em diferentes cores, acabamentos e composições nos dois lados. Utilizado em capa de livros, caixas, embalagens e, principalmente, para imprimir tags (as etiquetas que vem nas roupas).

CARTÃO Grafix: ideal para policromia. Indicado para capas, pois permite plastificação.

CARTÃO Micro Ondulado: papel cartão que tem pequenos canais salientes e reentrantes. Usado na embalagem de mercadorias quebradiças ou trabalhos diferenciados.

CARTÃO Triplex: papel com 3 camadas: 2 de celulose pré-branqueada e 1 de celulose branca com brilho. Usado em capa de livros, embalagens em geral, como produtos farmacêuticos, alimentícios, higiênicos, embalagens de eletroeletrônicos, de brinquedos, pastas, tags e cartão postal.

Caixas de montagem rápida feitas em papel cartão duplex ou triplex, com até 400g. Foto: Cpc Embalagens.

CARTOLINA: intermediária entre papel e o papelão. É obtida pela colagem e prensagem de várias outras folhas. Abaixo de 0,5 mm é considerada cartolina e se pesar mais que 180 g.

COLLOR PLUS: tipo uma cartolina colorida com até 240g, possui boa qualidade para impressão. Usado em trabalhos publicitários, papel para carta, envelopes, convites, catálogos, blocos, capas, folhetos e cartões de visita.

COUCHÊ: papel revestido de um ou ambos os lados por uma fina camada de substâncias minerais, que lhe dá aspecto encorpado e brilhante, texturizado, mate ou fosco. Por possuir ótimas características para impressão, garante cores vivas e definidas na impressão e é usado para materiais com qualidade superior. É o papel mais usado para revistas, folders, panfletos, cartões, entre outras publicações.

COUCHÊ L-1: tem o brilho apenas de um lado. Usado muito para rótulos.

COUCHÊ L-2: o brilho é nos dois lados. É o mais usado para folders, catálogos, revistas e flyers.

COUCHÊ FOSCO: fosco dos dois lados. Usado para materiais que tenham muito texto, pois sem o brilho melhor a leitura, como folders institucionais, catálogos e revistas.

Papel couchê o mais usado para materiais publicitários. Foto: Kalunga.

JORNAL: tem as mesmas características do offset, só que é mais fino e escuro, de baixo custo. É usado quase que exclusivamente para jornais.

LWC: é alternativa de qualidade para o couchê, pois é fabricado com alta porcentagem de celulose e revestido com tinta couchê em cada face. Usado para folders, catálogos, revistas, livros e materiais promocionais em geral.

FLOR POST: possui um dos lados brilhante, que dá opção de uma melhor qualidade de impressão. Geralmente usado em notas fiscais, pedidos e documentos.

KRAFT: papel muito resistente, em geral, de cor pardo-escuro. Usado para embrulhos, sacos e sacolas.

OFFSET: é o mais comum dos papeis, usado por todos nas impressoras. É um papel não calandrado e sem brilho, sendo preparado para resistir bem à umidade. Usado principalmente para livros, cadernos, alguns folhetos, notas fiscais e papel timbrado.

Papel offset em diferentes cores. Foto: Wg Papeis.

POLEN BOLD: É um offset de tonalidade diferenciada, excelente opacidade e maior espessura. Sua tonalidade reflete menos a luz, permitindo uma leitura mais agradável. Usado em livros quando necessário papeis mais espessos, sem aumento do peso do livro.

RECICLADO: mais ecológicos, os papéis reciclados são fabricados com 25% de matéria-prima reciclada pós-consumo e 75% de matéria prima virgem. A tonalidade é mais escura, porém a qualidade é a mesma do papel offset. Usado em substituição do papel comum, prospectos e cartões de visita, dando à empresa um valor de responsabilidade pelo meio ambiente.

SUPER BOND: bastante leve, este tipo de papel era utilizado nos Estados Unidos para impressão de títulos da dívida pública, os chamados bonds. Até hoje o papel tem este nome e é usado para formulários contínuos, cadernos, blocos, envelopes, talonários e produtos de escritório.

SUPERCALANDRADO: papel que recebeu acabamento acetinado em supercalandra, deixando o papel com mais brilho e transparência. Utilizado em publicações de grande tiragem.
OPALINE: papel bastante rígido, alvo, liso e de espessura uniforme. Usado em cartões de visita, convites e diplomas.

SUPREMO: intermediário entre o offset e o couchê, sendo mais grosso que o offset de mesma gramatura e com a parte selante apenas numa das faces. As variações segundo a qualidade: DUPLEX (textura de jornal no verso); TRIPLEX (o duplex um pouco melhor com verso branco); SUPREMO (triplex com verso bem lisinho); SUPREMO DUODESIGN (selante dos dois lados). Usado como um substituto mais barato do Couchê para folders, flyers, panfletos em geral.

Pasta em papel DuoDesign envernizada c/ orelha. Foto: Expanssiva.

TOP PRINT: bastante alvo, sedoso, liso e com opacidade superior, garante fidelidade na reprodução de fotos e ilustrações. Usado em revistas, impressos promocionais, livros didáticos, alguns folhetos e manuais.

VERGÊ: possui marca d’água e aparência artesanal. Adequado para papel de carta, envelopes, catálogos, materiais publicitários e cartões de visita.