Publicado em

Tendências de Design para Impressos em 2017

É fácil encontrar empresas que definem uma campanha de marketing sem prestar a devida atenção ao design dos materiais impressos. Passam pelo planejamento, pela definição de tema, textos e imagens, mas se esquecem que tudo pode ir por água abaixo se não houver harmonia e se não atrair o leitor de maneira adequada.

Como em tudo na vida, cada virada de ano traz novas tendências para novidades que podem se destacar e ajudá-lo a conquistar o público dali em diante. No design visual não é diferente, já que a todo momento surgem ideias inovadoras e fora da caixa que acabam se popularizando e passam a dominar o mercado em questão.

Não se engane: as pessoas julgam, sim, a aparência do que estão observando. Muitas vezes um design interessante, inovador ou arrojado faz a diferença para quem está lendo. A beleza ou apelo visual de um impresso é determinante para fazer com que o potencial cliente decida parar e ler, em vez de apenas deixar passar.

Menos é mais

Já se foi o tempo onde materiais muito elaborados tinham a preferência absoluta dos profissionais de marketing. Hoje, a ideia de que menos é mais está em alta, com o minimalismo ganhando destaque a ajudando muitas marcas a atraírem mais clientes.

Foque em uma mensagem direta, adote poucos elementos – mas que sejam bastante claros para a sua proposta – e deixe o visual mais limpo. A expectativa é que a maioria vá gostar do aspecto.

Ilustração manual

Outro ponto que vem sendo bastante usado pelos profissionais da área é apostar em ilustrações feitas à mão para passar a mensagem que desejam. Não é novidade que usar fotos genéricas de bancos de imagem da internet está em decadência, mas agora talvez seja o momento de lançar algo que sequer tenha foto.

Desenhos, quando bem feitos, são bastante atraentes aos olhos e capturam a atenção do leitor rapidamente.

Tecnologia x Natureza

Antes de tudo, calma. Não é um contra o outro. Mas, ambos estão em alta na hora de definir padrões de design para o seu material impresso. Tanto componentes que remetem à natureza quanto outros associados a tecnologia vêm sendo bastante usados no design visual mundo afora.

A ideia é trabalhar com cores, texturas e imagens que lembrem ao público elementos do meio ambiente ou da esfera digital. Tanto natureza quanto tecnologia passam uma ideia de imprevisibilidade e inspiração para quem vê.

Storytelling

Outra elemento de criação que vale a aposta em sua campanha de marketing de impressos é o storytelling: a arte de contar uma história para passar a mensagem que deseja.

Nesse caso, talvez funcione melhor em um folder, justamente pelo formato de livreto. Através de uma narrativa leve e lúdica, fica mais fácil passar ao público a informação que precisa – e de maneira mais divertida e didática para quem lê.

Esse ponto ainda pode casar bem com a ideia do uso de ilustrações manuais.

As tendências de design em impressos mostram que as marcas devem se tornar mais pessoais possíveis, utilizando desenhos, histórias, cores e texturas na medida certa para chegar ao público cada vez mais exigente e conectado à tecnologia em tempo real!

E não importa o setor em que a marca esteja inserida: o design do material que vai distribuir para divulgação é praticamente tão importante quanto a qualidade do produto ou serviço que está oferecendo. De nada adianta tentar vender algo de alto nível se a mensagem para divulgar aquilo não chega ao público de maneira adequada, não é mesmo?

Após definir o design e os outros detalhes do seu impresso, chega a hora de escolher quem vai imprimi-lo. E é decisão também importante; a gráfica precisa garantir a qualidade no resultado final e fornecer todo o suporte necessário para que a sua campanha saia como deseja.

Publicado em

Guia Completo: como fazer um Banner ou Cartaz no Photoshop

Apostar em um banner ou cartaz em sua campanha de marketing pode ser uma ótima forma de divulgação de marca. Quando bem posicionado, idealmente em locais de grande circulação de pessoas, esse tipo de material costuma chamar a atenção do transeunte, cumprindo bem o objetivo de captar o olhar e transmitir a informação desejada.

Por ser costumeiramente visto à distância, banners e cartazes são mais usados como reforço de marca do que como meio de apresentar produtos em campanhas de marketing. Mas não por isso deixam de poder ser feitos para comunicar promoções, por exemplo.

É verdade que muitas empresas preferem recorrer à contratação de profissionais para elaborar o design e a arte do banner/cartaz. Mas, como nem todos possuem orçamento para isso, é sempre possível fazer por conta própria um bom material. Aprenda a fazer o seu próprio banner ou cartaz no Photoshop! Siga o passo-a-passo.

Criando o seu próprio banner ou cartaz no Photoshop

Claro que, antes de tudo, você vai definir toda a estratégia de marketing para aquela campanha. Entre outras coisas, identidade visual é o que mais importa aqui – já que vai determinar padrões de cores, fontes, imagens, etc. Em caso de campanha institucional de marca, é sempre bom encontrar uma imagem adequada e combiná-la com uma mensagem curta e poderosa. Além, naturalmente, de informações sobre a empresa.

O banner/cartaz costuma ter um tamanho considerável, justamente para poder ser visto adequadamente de longe. Por isso, é bom prestar atenção nas proporções, destacando bem a mensagem e também o nome e logo da marca. Mas também é preciso ter atenção com outras especificações na hora de criar a própria arte.

Tamanho

O banner pode ter desde dimensões menores como 40 cm de largura x 60 cm de altura como ser bem maior, na casa dos 250 x 250 cm. Os cartazes já ficam na média de 30 x 42 cm, mas tudo depende dos seus objetivos com essas peças, da quantidade de informação que deseja passar e do local onde vai serão afixados. Preste atenção nesses detalhes ao definir o tamanho final.

Tipo de papel

Banners costumam ser impressos em lona, enquanto cartazes usam papel couché brilho de 115 ou 150 gramas – quanto maior esse número, mais “pesado” é o material e mais resistente ele se torna. O papel couché é revestido com dupla camada e brilho acetinado em ambos os lados. A textura é lisa e ele fica mais resistente, com imagens destacadas e cores bem vivas.

Cores

As cores precisam ser alvo de bastante atenção na hora de criar o próprio banner/cartaz no Photoshop. Lembre-se que o padrão para impressões é o sistema CMYK – baseado em ciano, magenta, amarelo e preto. Usando ele você garante que o resultado no papel será o mais parecido possível com o que está vendo no computador – os programas de edição de imagens costumam usar o sistema RGB (vermelho, verde e azul), que é adequado apenas para visualização em telas. Então lembre de alterar o padrão de cores para CMYK ao iniciar o projeto.

Acabamento

Margens e sangria podem ser colocadas diretamente no Photoshop. Outros tipos de acabamento precisam ser notificados à gráfica e marcados no design do material na hora da edição.

Passo a passo no Photoshop

  1. Ao abrir o Photoshop, vá ao menu ‘Arquivo’ e clique em ‘Novo’ para iniciar o seu novo projeto. Na caixa que se abre é possível escolher o tamanho que deseja: troque a opção ‘pixels’ por centímetros e determine as dimensões de acordo com o que deseja para o banner/cartaz (algo como 60 cm de altura por 40 cm de largura ou 250×250, como desejar, por exemplo). Em ‘resolução’, coloque em 300 pixels/polegadas para assegurar alta qualidade no resultado final. Ainda na mesma caixa, altere o modo de cores para CMYK para garantir a qualidade quando o material na impressão.
  2. Após clicar em ‘Ok’, você verá uma tela branca no tamanho que foi definido para o seu material – ela deve ser um retângulo vertical. É a partir de agora que você define o aspecto visual do banner ou cartaz. Caso deseje alterar a cor de fundo da imagem, escolha o novo tom com a ferramenta ‘balde de tinta’ para colorir o fundo. O primeiro passo deve ser a inserção das margens. Isso pode ser feito a partir do menu ‘Visualizar’, em ‘Réguas’. Pode escolher um número como 3 a 5 mm.
  3. O passo seguinte deve ser a inserção da imagem escolhida – retratando algo relevante e adequado à marca. Para isso, vá em ‘Arquivo’ e clique em ‘colocar incorporados’ ou ‘inserir’ – depende da versão do software que usar. Então basta selecionar a imagem desejada (que você precisa já ter no computador). O ideal é que esteja em alta qualidade, fazendo com que ela entre “grande” no projeto. Caso seja preciso adequá-la ao tamanho desejado dentro do projeto do banner, é possivel fazer sem distorcê-la com a ferramenta mover no menu lateral da esquerda segurando a tecla shift – e diminuir com o mouse através de uma das quinas. Aí é só centralizar ou posicionar de acordo com o layout desejado.  Aqui também pode se fazer uso de uma imagem de fundo que cubra tudo, para apenas colocar textos por cima.
  4. Com a ferramenta de texto (o T grande) no menu esquerdo, você pode definir o que vai ser escrito no material. Antes, escolha a fonte a ser usada (saiba mais sobre isso clicando aqui), seu tamanho (no caso do banner é ideal que seja uma dimensão maior para poder ser lida a distância) e sua cor. E o que vai ser escrito depende: pode ser a informação sobre o que está ofertando ou, em caso de campanha institucional, apenas o nome da empresa e um slogan que desperte o interesse do transeunte ao ver o banner/cartaz.
  5. Vale lembrar que banners e cartazes costumam ter apenas um lado. Caso prefira um material com dois lados, para construir o verso siga o mesmo procedimento do começo: Arquivo > Novo, mantendo as mesmas configurações. Você pode seguir os mesmos passos de antes, inserindo as imagens e textos que desejar. Para finalizar, vá em ‘Arquivo’ e ‘Salvar como’ para salvar a imagem – pode dar a ela o nome que quiser. Salve no formato JPEG, o mais usado nesse caso.
  6. Baixe nosso ebook Guia Prático para Fechamento de Arquivo para aprender direitinho e passo a passo a fechar seu arquivo antes de enviar para a gráfica!
  7. Agora que está tudo pronto, basta encaminhar ambos os arquivos finais fechados para a gráfica.

capaebookfechamento

Nunca se esqueça!

É claro que a gráfica escolhida para imprimir seu banner ou cartaz faz toda a diferença na qualidade final do material. Tenha sempre uma gráfica de confiança, já que não apenas assegura que sua campanha sairá como você imaginou como também pode ajudá-lo com dicas para que tudo dê certo.

Aproveite e venha conhecer a melhor a MediaTall: acesse www.mediatall.com.br e saiba tudo sobre a gráfica que imprime em até 24 horas para você!

banner-mediatall

Publicado em

Guia Completo: como criar um Folder no Photoshop

O folder pode ser um importante aliado para a empresa que deseja realizar uma campanha de marketing. Por ter mais espaço que um panfleto comum, ele permite desenvolver melhor a informação a ser passada e torna todo o processo de comunicação mais completo.

Por essas e outras, é ideal para momentos de apresentação de novos produtos ou serviços ou até mesmo de todo um negócio que esteja se lançando no mercado. Embora muitos empresários acabem recorrendo à profissionais especializados para elaborar as artes, não é todo mundo que pode arcar com gastos do tipo. Mas, nem por isso a empresa de menor porte precisa ficar sem o seu material promocional.

Não é nada complicado criar seu próprio folder através do Photoshop – ou ferramentas de edição de imagens similares. Confira nosso guia completo e faça você mesmo o seu!

Criando o seu próprio folder no Photoshop

Assim como já ensinamos nos casos de flyers e panfletos, antes de tudo é necessário fazer o planejamento de marketing, elaborar estratégias de comunicação e definir a identidade visual. Também é preciso determinar quais informações vão aparecer no folder: o que será apresentado e, claro, alguns detalhes sobre a empresa – para o leitor saber de quem se trata.

O grande diferencial do folder é mesmo seu tamanho. Elaborado como um pequeno livreto, dobrado em três partes em forma de sanfona, ele permite informar mais a quem recebê-lo. Por isso, aproveite para divulgar uma quantidade maior de produtos ou foque bem nas histórias que deseja transmtir ao leitor sobre o seu negócio (em caso de reforço ou apresentação de marca). E, claro, fique ligado em algumas especificações importantes para criá-lo sozinho.

Tamanho

Os folders costumam ser feitos em papel A5 (15×21 cm) ou A4 (21×30 cm), mas também podem ser maiores, 30×42 cm, já que a folha será dobrada em três para formar uma espécie de livreto.

Fique atento ao que deseja e à quantidade de informações para escolher as dimensões ideais para seu objetivo.

Tipo de papel

O papel couché brilho, com gramatura de 150g, é o mais adequado para a impressão de folders promocionais. O material é revestido com dupla camada e brilho acetinado em ambos os lados. A textura é lisa e ele fica mais resistente, com imagens destacadas e cores bem vivas.

Cores

Por falar em cores, está aí um assunto importante para a criação de impressos promocionais no Photoshop. O padrão para impressões é o sistema CMYK – baseado em ciano, magenta, amarelo e preto. Assim, é possível assegurar que o resultado no papel será o mais parecido possível com o que está sendo feito no software no computador. Tudo porque esses programas de edição de imagens costumam usar o sistema RGB (vermelho, verde e azul), mas que é adequado apenas para visualização em telas. Então lembre de alterar o padrão de cores para CMYK ao iniciar o projeto.

Acabamento

É importante lembrar das margens e sangria, que podem ser colocadas diretamente no Photoshop. Outros tipos de acabamento precisam ser notificados à gráfica e delineados no design do folder.

Passo a passo no Photoshop

  1. Após abrir o Photoshop, vá ao menu ‘Arquivo’ e clique em ‘Novo’ para iniciar o seu novo projeto. Na caixa que se abre já é possível escolher o tamanho que deseja: troque a opção ‘pixels’ por centímetros e determine as dimensões de acordo com o que deseja para o folder (algo como 21 cm de altura por 30 cm de largura ou 30×42 se for maior, por exemplo). Em ‘resolução’, coloque em 300 pixels/polegadas para assegurar alta qualidade no resultado final. Ainda na mesma caixa, altere o modo de cores para CMYK para garantir a qualidade quando o material for impresso.
  2. Após clicar em ‘Ok’, você verá uma tela branca no tamanho que foi definido para o seu folder – ela deve ser um retângulo horizontal. É a partir de agora que você define o aspecto visual do material. Caso deseje alterar a cor de fundo da imagem, escolha a desejada com a ferramenta ‘balde de tinta’ para colorir o fundo. O primeiro passo deve ser a inserção das margens. Isso pode ser feito a partir do menu ‘Visualizar’, em ‘Réguas’. Pode escolher um número como 3 a 5 mm.
  3. O passo seguinte é a divisão da folha em três partes. Isso serve para indicar à gráfica onde devem ser feitas as dobras e para delimitar onde entra cada parte da arte e dos textos para você. Selecione a ferramenta de linha no menu de formas personalizadas (atalho U). Daí é só dividir a tela em três inserindo duas barras segurando a tecla Shift para que fique totalmente reta. Lembre-se de, antes de tudo, determina que informação vai entrar em qual parte, já que o folder fica com seis faces – três na frente e três no verso. Geralmente as partes da frente são o interior do folder.
  4. Nessa parte, coloque as informações destinadas para a parte de dentro. Geralmente mais conteúdo, como produtos/serviços ou a parte principal da história que deseja contar. Selecione imagens adequadas, e lance-as na folha em ‘Arquivo’ > ‘colocar incorporados’ ou ‘inserir’ – depende da versão do software que estiver usando. Ajuste seus tamanhos e posicionamento com a ferramenta Mover no menu lateral, usando Shift para não distorcê-las. Os textos podem ser inseridos com a ferramenta de texto, o grande T no menu. Pense bem em cada uma das três partes interiores do folder, usando bem a divisão das barras.
  5. Para construir o verso siga o mesmo procedimento do começo: Arquivo > Novo, mantendo as mesmas configurações. Você pode seguir os mesmos passos explicados mais acima para fazer a divisão em três partes. No verso, uma das partes do canto será a ‘capa’ do folder quando estiver dobrado como livreto, o que será visto primeiro pelo leitor – enquanto o meio vira a parte de trás do livreto e o outro canto fica no interior. Na capa, vale inserir o logotipo da empresa e outros detalhes que quiser, como um slogan que chame atenção para o conteúdo. Já no meio, onde será a parte de trás, pode colocar também a logo em dimensões menores e os dados de contato – como email, site, telefone, endereço e redes sociais da marca.
  6. Ao finalizar, vá em ‘Arquivo’ e ‘Salvar como’ para salvar as imagens – pode dar a elas o nome que quiser, como ‘frente’ e ‘verso’. Salve no formato JPEG, o mais usado para esse caso.
  7. Baixe nosso ebook Guia Prático para Fechamento de Arquivo para aprender direitinho e passo a passo a fechar seu arquivo antes de enviar para a gráfica!
  8. Com tudo feito, basta encaminhar ambos os arquivos finais fechados para a gráfica.

capaebookfechamento

Para fechar…

Viu como não é tão complicado fazer a sua própria arte e ter o folder que precisa para a campanha de marketing? Agora só falta um detalhe: enviar para a gráfica. E é um detalhe bem importante, já que faz toda a diferença na qualidade final da impressão

Procure uma gráfica de confiança sempre! Aproveite para conhecer melhor a MediaTall: acesse www.mediatall.com.br e saiba tudo que a gráfica que imprime em até 24 horas para você tem a oferecer!

banner-mediatall

Publicado em 1 comentário

Guia Completo: como criar flyers e panfletos no Photoshop

Qualquer empresa que deseje fazer uma campanha de marketing com materiais impressos pensa logo no uso de panfletos ou flyers para divulgar as informações necessárias. São as formas mais lembradas para realizar a comunicação pretendida pela marca, seja um novo produto ou serviço, uma promoção especial ou apenas reforço de branding para o público.

Embora negócios de maior porte recorram à contratação de profissionais especializados para fazer as artes da campanha, nem todo mundo pode se dar ao luxo dessa despesa. Mas, não é por isso que você precisa ficar sem o seu panfleto ou flyer. É possível criar tudo por conta própria através do Photoshop – ou softwares de edição de imagens semelhantes.

Vamos te ajudar passo a passo com o nosso guia completo. Confira!

Criando o seu próprio flyer ou panfleto no Photoshop

Para começar, com todo um planejamento de comunicação, você vai definir o que será colocado no material impresso. Toda a identidade visual passa por aqui, com paleta de cores a serem usadas, fontes mais adequadas, etc. Também é o momento de escolher as informações que serão passadas: produtos ou serviços, preços e tudo mais. Além disso, dados de contato da empresa são fundamentais, como endereço do site, telefone, email e redes sociais, entre outros.

A diferença entre o flyer e o panfleto é simples. O flyer é menor, e por isso tem espaço para receber menos informação. É melhor não poluir visualmente o material, focando em ofertas de um lado e dados da empresa do outro, por exemplo. Já o panfleto pode receber mais conteúdo, tanto na frente quanto no verso, reservando apenas um espaço para citar as formas de contato com a marca.

Tamanho

O panfleto costuma ser impresso em formatos A4 (21×29,7 cm), A5 (21×15 cm) ou A6 (15×10 cm), dependendo da intenção que tiver. Já o flyer é de menor tamanho, geralmente em 7,5×10 cm ou 9×5 cm.

Tipo de papel

Ambos os materiais são impressos em papel couché, geralmente no couché brilho. Esse papel tem dupla camada de revestimento em ambos os lados, garantindo maior resistência e textura lisa.

Cores

O padrão de cores usado para materiais como o cartão é o CMYK – ciano, magenta, amarelo e preto. Usando esse sistema no seu material de escolha (panfleto ou flyer), você assegura que o resultado impresso será o esperado. O outro sistema usado em softwares de imagem mundo afora é o RGB (vermelho, verde e azul), mas o maior objetivo deste é a visualização em telas como televisão, monitores, etc. Então, é essencial lembrar de definir como CMYK o padrão de cores na hora de iniciar o projeto no Photoshop.

Acabamento

É importante lembrar das margens e sangria, que podem ser inseridas no projeto. Outros tipos de acabamento precisam ser avisados à gráfica e adequados no design do panfleto ou flyer.

Passo a passo no Photoshop

  1. Após abrir o Photoshop, vá ao menu ‘Arquivo’ e clique em ‘Novo’ para iniciar o seu novo projeto. Na caixa que se abre já é possível escolher o tamanho que deseja: troque a opção ‘pixels’ por centímetros e determine as dimensões de acordo com o material escolhido, panfleto ou flyer (algo como 21 cm de altura por 15 cm de largura para panfletos ou 9×5 para flyers, por exemplo). Em ‘resolução’, coloque em 300 pixels/polegadas para assegurar alta qualidade no resultado final. Ainda na mesma caixa, altere o modo de cores para CMYK, o ideal para materiais impressos.
  2. Após clicar em ‘Ok’, você verá uma tela branca no tamanho que foi definido para o material impresso. É a partir de agora que começa a determinar o aspecto visual do panfleto ou flyer. Caso deseje alterar a cor de fundo da imagem, escolha a desejada com a ferramenta ‘balde de tinta’ e colora a tela. O primeiro passo deve ser a inserção das margens. Isso pode ser feito a partir do menu ‘Visualizar’, em ‘Réguas’. Pode escolher um número como 3 a 5 mm.
  3. O passo seguinte deve ser a inserção de imagens desejadas – retratando os produtos ou serviços que deseja informar ao público. Para isso, vá em ‘Arquivo’ e clique em ‘colocar incorporados’ ou ‘inserir’ – depende da versão do software que estiver usando. Aí é só selecionar as imagens selecionadas (que você precisa já ter guardada no computador). O ideal é que estejam em alta qualidade, fazendo com que elas entrem “grandes” no projeto. Para adequá-las ao tamanho desejado dentro do panfleto/flyer sem distorcê-las, é só usar a ferramenta mover no menu lateral da esquerda segurando a tecla shift – e diminuir com o mouse por uma das quinas. Aí é só centralizar ou posicionar de acordo com o layout desejado.  Aqui também pode se fazer uso de uma imagem de fundo que cubra tudo, para apenas colocar textos por cima.
  4. Com a ferramenta de texto (o T grande) no menu esquerdo, você pode definir o que vai ser escrito no panfleto/flyer. Antes, escolha a fonte a ser usada (saiba mais sobre isso clicando aqui), seu tamanho (não deve ser muito grande nem muito pequeno, use o bom senso) e sua cor. Nessa parte, que deve ser a frente do material, o que vai ser escrito depende: pode ser a informação sobre o que está ofertando ou, em caso de um impresso institucional, apenas o nome da empresa e uma chamada que desperte o interesse do leitor.
  5. Tanto o panfleto quanto o flyer podem ter frente e verso ou apenas frente. Caso prefira um material com dois lados, para construir o verso siga o mesmo procedimento do começo: Arquivo > Novo, mantendo as mesmas configurações. Você pode seguir os mesmos passos aqui, inserindo as imagens e textos que desejar para criar seu panfleto/flyer.
  6. Para finalizar, vá em ‘Arquivo’ e ‘Salvar como’ para salvar a imagem (ou as duas, caso seja frente e verso) – pode dar a elas o nome que quiser, como ‘frente’ e ‘verso’. Salve no formato JPEG, o mais usado nesse caso.
  7. Baixe nosso ebook Guia Prático para Fechamento de Arquivo para aprender direitinho e passo a passo a fechar seu arquivo antes de enviar para a gráfica!
  8. Com tudo feito, basta encaminhar ambos os arquivos finais fechados para a gráfica.

capaebookfechamento

No fim de tudo…

Você já deve imaginar que a qualidade final do material também tem tudo a ver com a gráfica contratada para impressão. Então pense com carinho naquela que vai escolher, para não correr o risco de ver o seu impresso sair diferente do que imaginava.

Aproveite para conhecer melhor a MediaTall: acesse www.mediatall.com.br e saiba tudo que a gráfica que imprime em até 24 horas para você tem a oferecer!

banner-mediatall

 

Publicado em

Guia Completo: como criar um cartão de visitas no Photoshop

O cartão de visitas é a porta de entrada para qualquer profissional no mundo dos negócios. Afinal, por mais que os tempos sejam de tecnologia avançada e possibilidades digitais quase infinitas, ainda passa bastante credibilidade se apresentar com um cartão corporativo.

E com todas essas oportunidades virtuais existentes hoje, qualquer um pode criar o próprio cartão de visitas para mandar imprimir. Para isso, basta se virar com o Photoshop, aquele famoso programa de edição de imagens. E fique tranquilo, não é difícil desenvolver o seu material por lá! Vamos te ajudar passo a passo com o nosso guia completo. Confira!

Criando seu próprio cartão de visitas no Photoshop

Naturalmente, o primeiro passo é definir a arte e as informações que estarão inseridas. O cartão serve para o profissional se apresentar a alguém e passar seus dados de contato – nada mais. Por isso, evite excessos e se atenha ao essencial: nome, cargo, empresa, site, email, telefone (de trabalho, preferencialmente, não o pessoal) e endereço.

Com as informações definidas, chegou a hora de colocar a mão na massa e se aventurar pelo Photoshop.

Tamanho

A primeira coisa a definir no programa é o tamanho do cartão. E existe um padrão brasileiro: 9 x 5 cm. Na hora de criar o projeto no software, é possível já começar com as dimensões desejadas para a imagem a partir do menu ‘Arquivo’ ao criar um novo. Também é importante não esquecer de aumentar a resolução para 300 dpi (dots per inch – ou pontos por polegada), garantindo a qualidade do impresso.

Tipo de Papel

Os cartões de visitas costumam ser impressos em papel couché pesado, de 250 ou 300 gramas. O mais comum é o couché brilho, mas o couché fosco pode ser usado para dar um efeito mais sofisticado ao material.

Cores

O padrão de cores usado para materiais como o cartão é o CMYK – ciano, magenta, amarelo e preto. Ao usá-lo no seu cartão de visitas, você assegura que o resultado impresso será o esperado. O outro sistema usado em softwares de imagem mundo afora é o RGB (vermelho, verde e azul), mas o maior objetivo deste é a visualização em telas como televisão, monitores, etc. Então, é essencial lembrar de definir como CMYK o padrão de cores na hora de iniciar o projeto no Photoshop.

banner-frete

Estilos/cortes

Os cortes especiais podem ser feitos com a delineação da marca onde deseja que o cartão seja cortado – nesse caso, para sair do padrão retangular normal. Seja com bordas arredondadas ou outros formatos, é possível determinar no software a maneira como quer ver o produto final.

Acabamento

É importante lembrar das margens e sangria, que podem ser inseridas no projeto. Outros tipos de acabamento precisam ser avisados à gráfica e adequados no design do cartão.

Passo a passo no Photoshop

  1. Após abrir o Photoshop, vá ao menu ‘Arquivo’ e clique em ‘Novo’ para iniciar o seu novo projeto. Na caixa que se abre já é possível determinar o tamanho do cartão: troque a opção ‘pixels’ por centímetros e determine as dimensões em 9 cm de largura para 5 cm de altura. Em ‘resolução’, coloque em 300 pixels/polegadas para que fique com alta qualidade o resultado final. Ainda na mesma caixa, altere o modo de cores para CMYK, o ideal para materiais impressos.
  2.  Após clicar em ‘Ok’, você verá uma tela branca no tamanho que foi definido para o cartão de visitas. É a partir de agora que começa a determinar o aspecto visual dele. Caso deseje alterar a cor de fundo da imagem, escolha a desejada com a ferramenta ‘balde de tinta’ e colora a tela. O primeiro passo deve ser a inserção das margens. Isso pode ser feito a partir do menu ‘Visualizar’, em ‘Réguas’. Pode escolher um número como 3 a 5 mm.
  3. O passo seguinte deve ser a inserção da logomarca do seu negócio. Para isso, vá em ‘Arquivo’ e clique em ‘colocar incorporados’ ou ‘inserir’ – depende da versão do software que estiver usando. Aí é só selecionar a imagem do logo (que você precisa já ter guardada no computador). O ideal é que a imagem esteja em alta qualidade, fazendo com que ela entre “grande” no projeto. Para adequá-la ao tamanho desejado dentro do cartão sem distorcê-la, é só usar a ferramenta mover no menu lateral da esquerda segurando a tecla shift – e diminuir com o mouse por uma das quinas. Aí é só centralizar ou posicionar de acordo com o layout desejado.
  4. Com a ferramenta de texto (o T grande) no menu esquerdo, você pode definir o que vai ser escrito no cartão. Antes, escolha detalhes como a fonte a ser usada (saiba mais sobre isso clicando aqui), seu tamanho (não deve ser muito grande nem muito pequeno, use o bom senso para ficar algo agradável e elegante no projeto) e sua cor. Nessa parte, que deve ser a frente do cartão, atenha-se apenas ao logo e ao nome da empresa ou endereço do site. O resto pode ficar para o verso.
  5. Para construir o verso, siga o mesmo procedimento do começo: Arquivo > Novo, mantendo as mesmas configurações. Você pode seguir os mesmos passos aqui, e mesmo inserindo novamente a logo, mas dessa vez é importante que esteja em menor tamanho, discreta em um dos cantos, de preferência. De resto, com a ferramenta de texto coloque os dados de contato em outro dos cantos, sempre usando uma nova camada para cada linha. Por exemplo, escreva seu nome e posicione com a ferramenta de mover onde quiser. Aí clique novamente na ferramenta de texto, posicione abaixo do seu nome e escreva sua função na empresa. Embaixo, faça o mesmo para escrever o nome da empresa. E assim por diante com email, telefone, etc.
  6. Para finalizar, vá em ‘Arquivo’ e ‘Salvar como’ para salvar cada uma das imagens – pode dar a elas o nome que quiser, como ‘frente’ e ‘verso’. Salve no formato JPEG, o mais usado nesse caso.
  7. Baixe nosso ebook Guia Prático para Fechamento de Arquivo para aprender direitinho e passo a passo a fechar seu arquivo antes de enviar para a gráfica!
  8. Com tudo feito, basta encaminhar ambos os arquivos finais fechados para a gráfica.capaebookfechamento

A gráfica

Não menospreze a diferença que uma boa gráfica faz para o seu material impresso. É preciso escolher uma empresa de confiança, que garanta a qualidade final do que você deseja.

Acesse www.mediatall.com.br e conheça mais da gráfica que imprime o seu cartão de visitas – e muito mais – em até 24 horas!

bannerclientes