Publicado em

Conheça o Acabamento Soft Touch e incremente o seu impresso

O trabalho de realizar marketing com impressos é muito mais do que apenas desenvolver uma arte, enviar para a gráfica e receber a impressão. Além de todo o planejamento adequado para que o design tenha a ver com a marca e seja atrativo para o leitor, existem outras etapas muito importantes no processo de impressão do material – e que podem fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso de uma campanha.

E um dos passos mais determinantes acontece na pós-impressão: o acabamento – ou finalização. Existem diversos tipos de acabamento que atendem a todos os gostos e objetivos para aquela determinada empresa e campanha, sendo necessário bastante cuidado ao escolher aqueles que pretende usar. Muitas vezes eles possuem também a função de proteger o material. E as opções mais comuns costumam ser o envernizamento, a laminação, o refile e o hot stamping, entre outras.

No entanto, como todo segmento, o mercado gráfico também evolui. Todo ano temos novidades e tendências surgindo, se firmando ou sumindo, e aqui não é diferente. Na hora de finalizar o material impresso com um acabamento de primeira, também temos inovações aparecendo de vez em quando. E a bola da vez é o Soft Touch.

O Soft touch: acabamento em veludo

A opção pelo acabamento em Soft Touch visa trazer ao material um toque de veludo. Ele é bastante semelhante à laminação no estilo BOPP fosca: nela, se aplica uma película plástica fosca para revestir o impresso, trazendo uma maior sofisticação aos olhos e ao toque. A diferença é que, nesse caso, a película trará uma sensação aveludada.

O Soft Touch é justamente uma forma de laminação fosca, com a diferença que o filme plástico aplicado promove um toque suave de veludo ao papel revestido. E essa forma de acabamento pode ser usada com sucesso em cartões de visita, cartões postais, panfletos, flyers, folders, embalagens, catálogos, revistas, etc. Ele é bastante versátil e garante sofisticação ao material.

Por que escolher o Soft Touch?

Mas quais as vantagens em usar o Soft Touch na sua campanha de marketing com impressos? Para começar, naturalmente, um revestimento em plástico como esse traz maior proteção ao material: contra sujeira, poeira e até mesmo respingos de água.  A durabilidade também fica bem maior contra o desgaste natural e o produto acaba mais resistente contra possíveis rasgões, riscos e atritos.

Outro benefício que se adquire ao escolher usar o acabamento Soft Touch é a grande valorização das cores escolhidas que ele traz – o revestimento plástico ajuda a realçar as tonalidades. Ainda ganha-se um efeito super fosco no impresso, já que ele apresenta essa característica com ainda maior intensidade que a laminação BOPP comum.

***

Após realizar todo o planejamento, definir artes e terminar a produção, chega a hora de escolher a gráfica que vai imprimir o seu material. E ela faz toda a diferença para o acabamento e para o resultado final: sempre procure uma empresa de confiança, que garante a qualidade esperada e ainda ajude com dicas para todo o processo. Tudo para que o produto seja entregue exatamente do jeito que foi pedido.

Venha conhecer a MediaTall, a gráfica que imprime em até 24 horas para você!

Publicado em

Check-list para evitar erros de impressão

Não existe coisa mais frustrante no mundo do marketing do que planejar uma bela campanha, escolher design e detalhes para todas as etapas e ver o resultado sair diferente do que imaginava. Infelizmente, tal decepção pode acontecer mais frequentemente do que qualquer um gostaria se alguns pontos forem negligenciados durante o processo de desenvolvimento – principalmente no caso de materiais impressos.

Além da frustração, os erros de impressão ainda causam prejuízo para a empresa e sua campanha. Afinal, todo o material precisará ser corrigido e reimpresso, perdendo ainda mais tempo e gerando gastos adicionais que poderiam ser evitados. E sim, aqui é o ponto chave da questão: tudo pode ser evitado. Não é tão difícil garantir que os impressos saiam dentro do que foi planejado, basta ficar atento a alguns itens durante o processo de criação e finalização.

A verdade é que erros de impressão sempre podem acontecer. São muitos detalhes durante o processo que podem acabar passando despercebidos e causar pequenos problemas no produto final. Mas vamos ajudá-lo a evitar o máximo possível: é só seguir a nossa check-list e ficar tranquilo com o resultado.

Passo 1: o espaço

Prestar bastante atenção no uso adequado do espaço que tem disponível é o começo de tudo. A definição das margens é essencial para que, ao fim dos acabamentos, o corte não passe por cima de um pedaço em que havia conteúdo. A maioria das gráficas disponibiliza os limites de margem para saber exatamente onde o material será cortado e onde pode colocar as imagens e o texto.

Passo 2: as imagens

E por falar nas imagens, a segunda etapa da check-list contra os erros de impressão trata delas. Ao procurar fotos na internet para ilustrar o impresso, tenha cuidado com a qualidade delas. Esticá-las para completar o material não é nada bom, já que piora a resolução – procure sempre uma imagem em vetor.  Também é imprescindível converter tudo de RGB em CMYK quando for preciso. É a diferença entre a escala presente nos softwares de edição para a usada na hora de imprimir.

Passo 3: o texto

O que vai ser escrito também tem grande importância na qualidade final e para prevenir possíveis erros de impressão. Nunca deixe tudo em preto composto, que é o uso das quatro cores da escala (ciano, magenta, amarelo e preto) em 100% – o ideal é apenas o preto em 100% e o ciano em 20%. Ainda é preciso cuidado com textos em tom claro sobre fundo escuro, sendo necessário colocá-los em negrito, com tamanho maior que 7 e fonte sem serifa para não perder definição com a tinta. Fontes pequenas e coloridas, no geral, não são recomendáveis. Por fim, converta tudo que for escrito em curvas em programas como o CorelDraw, para evitar que fiquem descaracterizados ao imprimir.

Passo 4: as cores

Cores de preenchimento no design do material também precisam ser convertidas de RGB (ou Pantone) para CMYK para não ocasionarem erros de impressão. A qualidade de resolução das imagens usadas, como já explicado, também afeta os tons presentes nelas, então sempre procura a melhor possível. Em caso de cores especiais, é bom recorrer à escala Pantone, com alguns tons dela presentes em equivalência na CMYK. E papeis de gramatura mais leve não respondem bem à cores carregadas e podem gerar manchas.

Passo 5: o arquivo

Por fim, não deixe passar o momento final: a hora de fechar o arquivo e enviá-lo para a gráfica. Confira o nosso Guia Prático do Fechamento de Arquivo com todos os detalhes sobre como realizar essa etapa de maneira adequada para não ter erros no produto final.

Passo 6: a gráfica

Naturalmente, a escolha da gráfica faz toda a diferença para evitar os erros de impressão e garantir a melhor qualidade no resultado. Tenha certeza de que vai recorrer a um lugar de confiança, que forneça todo o apoio necessário para que tudo saia dentro do esperado e a campanha de marketing seja um sucesso.

Venha conhecer a MediaTall, a gráfica que entrega em até 24 horas para você!

Publicado em

Sugestão para Acabamentos: saiba como escolher o ideal

Nem todo mundo está acostumado com o conceito de acabamento no meio gráfico. Na hora de definir como deseja a finalização de seu material impresso, muitos são pegos de surpresa e não sabem o que fazer. Mas a verdade é que os acabamentos são partes fundamentais de qualquer arte e podem fazer a diferença de uma campanha.

Qualquer peça recebe um acabamento antes de ser entregue. Existem os mais simples e conhecidos, como a envernização e a laminação, e outros mais sofisticados – como o hot stamping e o alto ou baixo relevo. Seja como for, o objetivo é diferenciar o material e/ou dar ênfase a algum ponto específico dele. Deixá-lo mais bonito e elegante é a consequência final.

Para tirar todas as dúvidas e ajudá-lo a escolher sempre o acabamento mais adequado para o que você procura, preparamos esse guia sobre cada um dos principais. Confira.

Verniz

O verniz é usado para melhorar a aparência do impresso e dar mais brilho a ele. Naturalmente, o tratamento deixa o material mais brilhoso, elegante e sofisticado. A envernização também realça as cores e traz maior credibilidade – pois não fica parecendo um trabalho amador ou feito sem cuidado.

O uso de envernização ocorre mais em cartões de visita, mas também pode ser usado com sucesso em flyers ou panfletos. Outro detalhe importante: a aplicação do verniz pode ser feita em toda a área ou apenas em um pedaço específico, valorizando essa parte que foi envernizada em relação ao resto.

Laminação

A laminação é outro acabamento que dá ao impresso sutil efeito fosco de refinamento, mas com mais sobriedade que um material brilhoso.  A aplicação é feita pela gráfica com aplicação de calor, dando uma aparência de elegância crua ao flyer ou panfleto. É ideal também para cartões de visita.

O tratamento com laminação ainda deixa o impresso mais forte e resistente. No entanto, não é qualquer tipo de papel que pode receber esse acabamento, então não deixe de entrar em contato com o profissional que vai imprimir seu material para ter certeza que o resultado sairá como desejado.

Relevo

Ainda no grupo de boas soluções de acabamento para sofisticar a sua campanha de marketing com impressos está o relevo. A aplicação de alto ou baixo relevo no material definitivamente apresenta um diferencial ao olhar do público, mostrando ao menos que o empresário investiu para fazer algo atraente e de boa apresentação. Apesar de ser elegante, é discreto e ideal para passar uma imagem de sobriedade.

O relevo pode ser aplicado em papeis com gramatura acima de 180 gramas. Embora seja mais encontrado em cartões de visita, também pode ser usado no seu flyer ou panfleto, contanto que com moderação e uma ideia bem pensada – para destacar determinado ponto ou informação do impresso.

Hot stamping

O hot stamping é aquele efeito metal que uma imagem ou fonte pode receber no impresso – muito comum em cadernos, por exemplo. A camada metalizada é fixada no material através da pressão em uma fita, derretendo o pedaço escolhido para aplicação e deixando ali a aparência diferente.

Não costuma ser aplicado em todo o impresso, justamente por ser bastante ousado e chamativo – sendo mais indicado para apenas algumas partes que se pretende destacar. Se feito da maneira correta, o hot stamping também pode dar uma sensação de elegância, mas cuidado: o excesso traz a imagem contrária, podendo ficar brega aos olhos do leitor.

***
Escolher o acabamento para impressos ideal em seu flyer ou panfleto pode ser uma decisão difícil. Pense bem no que deseja comunicar e atente para não ter excesso de informação no material – com cores, imagens e acabamentos “brigando por atenção”.

Após definir o que quer, chega a hora de pensar em onde vai imprimir. A MediaTall entrega em até 24 horas para você e contribui com todas as dicas que precisar para ter o resultado que espera. Venha nos conhecer!

Publicado em

Guia Completo: como criar um cartão de visitas no Photoshop

O cartão de visitas é a porta de entrada para qualquer profissional no mundo dos negócios. Afinal, por mais que os tempos sejam de tecnologia avançada e possibilidades digitais quase infinitas, ainda passa bastante credibilidade se apresentar com um cartão corporativo.

E com todas essas oportunidades virtuais existentes hoje, qualquer um pode criar o próprio cartão de visitas para mandar imprimir. Para isso, basta se virar com o Photoshop, aquele famoso programa de edição de imagens. E fique tranquilo, não é difícil desenvolver o seu material por lá! Vamos te ajudar passo a passo com o nosso guia completo. Confira!

Criando seu próprio cartão de visitas no Photoshop

Naturalmente, o primeiro passo é definir a arte e as informações que estarão inseridas. O cartão serve para o profissional se apresentar a alguém e passar seus dados de contato – nada mais. Por isso, evite excessos e se atenha ao essencial: nome, cargo, empresa, site, email, telefone (de trabalho, preferencialmente, não o pessoal) e endereço.

Com as informações definidas, chegou a hora de colocar a mão na massa e se aventurar pelo Photoshop.

Tamanho

A primeira coisa a definir no programa é o tamanho do cartão. E existe um padrão brasileiro: 9 x 5 cm. Na hora de criar o projeto no software, é possível já começar com as dimensões desejadas para a imagem a partir do menu ‘Arquivo’ ao criar um novo. Também é importante não esquecer de aumentar a resolução para 300 dpi (dots per inch – ou pontos por polegada), garantindo a qualidade do impresso.

Tipo de Papel

Os cartões de visitas costumam ser impressos em papel couché pesado, de 250 ou 300 gramas. O mais comum é o couché brilho, mas o couché fosco pode ser usado para dar um efeito mais sofisticado ao material.

Cores

O padrão de cores usado para materiais como o cartão é o CMYK – ciano, magenta, amarelo e preto. Ao usá-lo no seu cartão de visitas, você assegura que o resultado impresso será o esperado. O outro sistema usado em softwares de imagem mundo afora é o RGB (vermelho, verde e azul), mas o maior objetivo deste é a visualização em telas como televisão, monitores, etc. Então, é essencial lembrar de definir como CMYK o padrão de cores na hora de iniciar o projeto no Photoshop.

banner-frete

Estilos/cortes

Os cortes especiais podem ser feitos com a delineação da marca onde deseja que o cartão seja cortado – nesse caso, para sair do padrão retangular normal. Seja com bordas arredondadas ou outros formatos, é possível determinar no software a maneira como quer ver o produto final.

Acabamento

É importante lembrar das margens e sangria, que podem ser inseridas no projeto. Outros tipos de acabamento precisam ser avisados à gráfica e adequados no design do cartão.

Passo a passo no Photoshop

  1. Após abrir o Photoshop, vá ao menu ‘Arquivo’ e clique em ‘Novo’ para iniciar o seu novo projeto. Na caixa que se abre já é possível determinar o tamanho do cartão: troque a opção ‘pixels’ por centímetros e determine as dimensões em 9 cm de largura para 5 cm de altura. Em ‘resolução’, coloque em 300 pixels/polegadas para que fique com alta qualidade o resultado final. Ainda na mesma caixa, altere o modo de cores para CMYK, o ideal para materiais impressos.
  2.  Após clicar em ‘Ok’, você verá uma tela branca no tamanho que foi definido para o cartão de visitas. É a partir de agora que começa a determinar o aspecto visual dele. Caso deseje alterar a cor de fundo da imagem, escolha a desejada com a ferramenta ‘balde de tinta’ e colora a tela. O primeiro passo deve ser a inserção das margens. Isso pode ser feito a partir do menu ‘Visualizar’, em ‘Réguas’. Pode escolher um número como 3 a 5 mm.
  3. O passo seguinte deve ser a inserção da logomarca do seu negócio. Para isso, vá em ‘Arquivo’ e clique em ‘colocar incorporados’ ou ‘inserir’ – depende da versão do software que estiver usando. Aí é só selecionar a imagem do logo (que você precisa já ter guardada no computador). O ideal é que a imagem esteja em alta qualidade, fazendo com que ela entre “grande” no projeto. Para adequá-la ao tamanho desejado dentro do cartão sem distorcê-la, é só usar a ferramenta mover no menu lateral da esquerda segurando a tecla shift – e diminuir com o mouse por uma das quinas. Aí é só centralizar ou posicionar de acordo com o layout desejado.
  4. Com a ferramenta de texto (o T grande) no menu esquerdo, você pode definir o que vai ser escrito no cartão. Antes, escolha detalhes como a fonte a ser usada (saiba mais sobre isso clicando aqui), seu tamanho (não deve ser muito grande nem muito pequeno, use o bom senso para ficar algo agradável e elegante no projeto) e sua cor. Nessa parte, que deve ser a frente do cartão, atenha-se apenas ao logo e ao nome da empresa ou endereço do site. O resto pode ficar para o verso.
  5. Para construir o verso, siga o mesmo procedimento do começo: Arquivo > Novo, mantendo as mesmas configurações. Você pode seguir os mesmos passos aqui, e mesmo inserindo novamente a logo, mas dessa vez é importante que esteja em menor tamanho, discreta em um dos cantos, de preferência. De resto, com a ferramenta de texto coloque os dados de contato em outro dos cantos, sempre usando uma nova camada para cada linha. Por exemplo, escreva seu nome e posicione com a ferramenta de mover onde quiser. Aí clique novamente na ferramenta de texto, posicione abaixo do seu nome e escreva sua função na empresa. Embaixo, faça o mesmo para escrever o nome da empresa. E assim por diante com email, telefone, etc.
  6. Para finalizar, vá em ‘Arquivo’ e ‘Salvar como’ para salvar cada uma das imagens – pode dar a elas o nome que quiser, como ‘frente’ e ‘verso’. Salve no formato JPEG, o mais usado nesse caso.
  7. Baixe nosso ebook Guia Prático para Fechamento de Arquivo para aprender direitinho e passo a passo a fechar seu arquivo antes de enviar para a gráfica!
  8. Com tudo feito, basta encaminhar ambos os arquivos finais fechados para a gráfica.capaebookfechamento

A gráfica

Não menospreze a diferença que uma boa gráfica faz para o seu material impresso. É preciso escolher uma empresa de confiança, que garanta a qualidade final do que você deseja.

Acesse www.mediatall.com.br e conheça mais da gráfica que imprime o seu cartão de visitas – e muito mais – em até 24 horas!

bannerclientes

Publicado em

Melhores acabamentos para Folder

Na hora de escolher que tipo de material será usado em uma campanha de marketing com impressos, é comum ver muita gente recorrer ao folder. Com mais espaço em relação a panfletos, folhetos e flyers, ele se torna a melhor opção para quem deseja ter conteúdo um pouco maior na divulgação de seu produto, serviço, evento ou afins.

Geralmente impresso em papel A4 ou A6, e com até três dobras, um folder pode apresentar até seis faces para inserção de mais detalhes da apresentação que deseja fazer. Por isso, esse tipo de material se torna ideal para quem deseja divulgar um novo produto ou serviço, dispondo de espaço suficiente para contar ao público-alvo tudo que precisa saber sobre a novidade.

O folder também é extensamente usado por bares, lanchonetes e restaurantes que oferecem entregas em domicílio e, assim, os usam como cardápio para distribuição aos potenciais clientes. Além do conteúdo, é preciso ter bastante atenção com os tipos de acabamento que podem ser feitos em um folder. Conheça os principais.

Dobra

A dobra é o que dá ao folder o formato que ele possui. Existem alguns tipos de dobra mais comuns no processo de pós-impressão do material, sendo as principais:

  • a sanfona
  • a carteira
  • a janela

A dobra sanfona abre primeiro para dentro e depois para fora, fazendo com que haja sequência de conteúdo entre a frente o verso do papel.

A dobra carteira abre duas vezes para fora, deixando o primeiro conteúdo a aparecer quando abre o folder sendo um pedaço do verso.

Por fim, a menos vista é a dobra janela, em que são dobrados para dentro os dois cantos da folha formando uma janela para conteúdo.

Refile

O refile é a primeira etapa de acabamento que o folder recebe – e também é o mais comum em outros impressos como panfletos e flyers. Ele nada mais é do que os cortes que deixam o material no tamanho correto. Apesar da simplicidade que parece ter, o refile não deixa de ser muito importante no processo de finalização pós-impressão. Se mal executado, por exemplo, pode acarretar em perda de conteúdo, necessitando de nova impressão e atrasando a entrega ao cliente. Além do resultado final do papel, o refile pode ser usado antes para igualar as folhas e também eliminar margens e marcas.

Laminação

A laminação é o processo de revestir um material com uma finíssima camada de plástico para dar maior sofisticação. A principal dela é a laminação fosca, que reveste o folder com uma camada fosca para dar esse aspecto de elegância ao impresso. Além do efeito visual agradável, também cumpre o papel de dar mais resistência e durabilidade ao material – além de deixá-lo impermeável. No fim, atua como forma de diferenciação e sofisticação em relação a um folder mais ‘simples’, que não receba essa forma de acabamento.

***
A gráfica escolhida para imprimir seu folder também tem grande responsabilidade pela qualidade final do impresso. Escolha com atenção, já que ela também pode ajudá-lo com dicas para que tudo saia como desejado. Acesse www.mediatall.com.br e conheça mais da gráfica que imprime em até 24 horas para você!

Publicado em

Dica de acabamento: o que é Hot Stamping e onde utilizá-lo

Parte importante da impressão de qualquer material para divulgação e campanha de marketing, o acabamento (ou finalização) dá aquele toque final para completar de vez a produção. Realizado geralmente na parte de pós-impressão, ele pode ser feito de diversas maneiras diferentes, de acordo com o objetivo que você deseja para o impresso.

Alguns dos tipos de acabamento mais comuns na indústria gráfica incluem a laminação, o verniz, o corte, o vinco, a blocagem, e por aí vai. Aqui, no entanto, nosso foco será em outro deles: o hot stamping. Ele grava no material uma frase ou imagem de maneira mais elegante, e aqui você pode aprender melhor o que é e como usá-lo para sofisticar o material da campanha para seu negócio.

O que é o hot stamping?

O hot stamping (estampamento quente, em inglês) é um método não-poluente de impressão em litografia em que lâminas ou tintas pré-aquecidas são transferidas para alguma superfície em altas temperaturas. É vastamente usado em impressão em papel ou plástico, e foi evoluindo ao longo do tempo para incluir uma maior variedade de processos e cores.

Na máquina, uma chapa é montada e aquecida, com o produto a ser estampado colocado embaixo dela. Depois, uma fita é inserida entre elas e a chapa a aperta para baixo, a fita se desprende e estampa o local, com a tinta seca sendo impressa na superfície do produto. O processo todo é não-poluente porque todos os materiais envolvidos são secos. Assim, é possível imprimir desenhos com bastante detalhamento.

Através do hot stamping é possível imprimir logos, palavras ou frases e outros detalhes que queira destacar no material. O resultado é um efeito metálico e com relevo, dando maior sofisticação ao produto final e destacando o que for finalizado com o processo.

Como usar o hot stamping?

O hot stamping é ideal para aumentar a credibilidade de um material impresso, com destaque para cartões de visita ou postais – tudo porque dá um ar maior de sofisticação a ele. É uma excelente maneira de garantir uma boa imagem para sua marca ou empresa, já que os clientes tendem a ver com melhores olhos esse ‘investimento’ maior na produção do seu material.

E não são apenas os negócios que precisam passar sofisticação (setores de luxo, por exemplo) que podem fazer uso do hot stamping na hora de desenvolver o design para cartões ou outros impressos. Qualquer um que deseje chamar mais a atenção do público pode se valer deste tipo de acabamento. O impacto causado pelo brilho que o hot stamping gera atrai qualquer um e o custo-benefício é atrativo para quem procurar dar um algo a mais ao impresso.

Seja no logotipo, no nome da marca ou em uma imagem ou palavra que queira destacar, o uso do hot stamping é sempre visto com bons olhos e proporciona maior elegância ao cartão.

***
Na hora de escolher onde imprimir e fazer a produção, é preciso pensar com carinho também na gráfica ideal. A MediaTall não só garante a melhor qualidade na sua impressão com hot stamping, como também dá todo o auxílio necessário para que seu material fique o melhor possível. Acesse www.mediatall.com.br e saiba mais sobre a gráfica que imprime em até 24 horas para você!

Publicado em

Verniz – o que é e como usar nos Impressos

É comum ver muita gente pensando que a realização de uma campanha de marketing com impressos se resume a criação e impressão. Naturalmente, escolher quantidade, material, tema, design, texto, imagens e, após tudo isso, imprimi-los, é parte fundamental do processo. Mas a finalização, aquela parte após a impressão, é tão importante quanto e dá o último toque de qualidade.

Um dos acabamentos mais usados em impressos é o verniz. Na verdade, ao lado da laminação, ele é o mais popular entre os principais tipos de acabamento usados em campanhas de distribuição, como panfletos, folder ou banners – além de cartões de visitas. Neste post você vai conhecer um pouco melhor o que é o verniz e como usá-lo para benefício do seu negócio.

O que é o verniz

O verniz é uma película quase transparente usada como acabamento para garantir proteção e, em alguns casos, brilho ao material. Geralmente é feito de óleo secante, resinas e solvente, mas também pode levar poliuretano ou outros derivados de petróleo.

O verniz pode ser aplicado em todo o impresso ou em apenas algumas partes, para dar brilho específico no local, caso acompanhado da laminação fosca.

Como principais características, ele promove maior durabilidade e resistência ao material; protege contra as variações do ambiente; fixa melhor a tinta; e passa a impressão de maior qualidade e sofisticação.

Aplicações

Algumas impressoras permitem que se passe o verniz juntamente à impressão, em uma só passada. Em outros casos, ele é aplicado posteriormente, com todas as folhas voltando para a máquina para o envernizamento.

Existem três tipos principais de vernizes em offset:

1. Verniz à base de óleo: é composto por resinas e óleo de linhaça. Ele se parece bastante com as tintas e pode dar efeito de brilho ou fosco ao impresso. De menor custo, ele também a ajuda a repelir água, tornando-se ideal para produtos que podem ter contato com umidade – é mais comumente encontrado em rótulos e embalagens. No entanto, tende a secar mais devagar e a amarelar com o passar do tempo.

2. Verniz à base de água: feito misturando água com resinas acrílicas e outros aditivos. Os vernizes deste tipo são naturalmente líquidos e precisam ser secados após a aplicação. Também podem gerar efeito de brilho ou fosco no material e até mesmo metálicos. Além de baixo custo e simplicidade, não amarela com o tempo e apresenta maior resistência e flexibilidade.

3. Verniz UV: o mais encontrado em materiais impressos. Ele recebe este nome por necessitar de lâmpadas com radiação ultravioleta (UV) para a secagem. Apresenta nível de brilho superior aos dois acima citados e garante maior qualidade. Costuma ser a opção mais usada em folders, banners, panfletos e cartões para a finalização. O silk screem é utilizado para passar o verniz manualmente nas áreas escolhidas, aumentando um pouco o custo.

Em quais peças utilizar

O verniz pode ser aplicado em qualquer peça impressa, mas é mais comumente utilizado em cartões de visita, flyers e folders, dando destaque a textos, logos ou imagens. O resultado final é um impresso ainda mais elegante e sofisticado.

***

Após definir todas as etapas de sua campanha é preciso escolher com carinho a gráfica para enviar o que deseja ser impresso. Procurar um local de boa reputação e experiência no mercado sempre garante tranquilidade e qualidade para o produto final – inclusive a aplicação do verniz.

Com anos de experiência no mercado gráfico, a MediaTall entrega em até 24 horas para você. Acesse www.mediatall.com.br e venha nos conhecer melhor!

Publicado em

Os melhores Acabamentos para seu Cartão de Visitas

Qualquer profissional precisa de um cartão de visitas. Mesmo na era da internet e com tudo migrando para o mundo online, a premissa ainda é verdadeira. O contato pessoal muitas vezes exige troca de informações e, apesar de ser possível anotar o número de telefone para conversas via aplicativos de mensagem instantânea ou mesmo o e-mail no celular, ainda passa mais credibilidade a presença dele, o cartão.

O processo de criação de um cartão não exige muito. Existem tipos mais elaborados, com design moderno e atrativo, e os mais simples, clean e com informações básicas, que já são suficientes para cumprir o papel que possui no mundo corporativo.

Nome, empresa, cargo que ocupa e contatos de telefone e e-mail já bastam como informações para um cartão de visita. Outros contatos como Skype ou redes sociais – principalmente LinkedIn, Twitter e Facebook – também são bem-vindos dependendo do caso e estão em alta. O endereço do website corporativo também pode aparecer. Com esses dados, seu cartão já estará mais do que completo e pronto para ser distribuído a potenciais parceiros de negócios ou clientes.

Os melhores acabamentos

A partir daí, é preciso passar para a parte da produção em si do cartão, já pensando no resultado final. Ao enviar para a gráfica, já deve estar decidido como deseja que ele seja feito, desde o tipo de papel – geralmente couché – (veja mais sobre a escolha do papel neste outro post), até o acabamento, que é o assunto principal deste post. E dependendo do seu gosto, pode ser algo mais simples ou mais sofisticado.

Verniz Brilho

Usado para proteger o cartão e deixá-lo brilhante, como o nome indica, o verniz é aplicado com uma tinta transparente de alto brilho e pode ser feito separado da impressão, ou na própria máquina, gerando um resultado mais bonito para o impresso. Tem alto impacto e deixa as cores mais vivas. Costuma ser o mais requisitado e desejado quando se pensa em um design moderno.

Também pode ser feito de forma localizada, apenas em algumas partes do cartão – como no logotipo -, quando aplicado junto à laminação – que você verá a seguir. Neste caso, dá-se o nome de Verniz UV Localizado.

Laminação Fosca (BOPP)

A laminação é o processo de revestir o cartão com um filme plástico usando cola e calor – e não é possível retirá-lo após a aplicação. Promove maior durabilidade ao material que o verniz, além de ser feito separadamente da impressão.  A laminação fosca dá um toque de ‘veludo’ ao material, deixando uma sensação melhor ao toque, podendo ser feita dos dois lados do impresso.

O efeito final é mais sofisticado quando se aplica laminação fosca. Porém, esse tipo de aplicação é um pouco mais caro e precisa ser feita por uma gráfica de qualidade, pois pode curvar o cartão por conta do atrito entre o plástico e o papel.

Bordas Arredondadas

As bordas arredondadas é um corte diferenciado no cartão de visitas, que o deixa mais atrativo e moderno. Pode-se arredondar apenas uma borda, as duas, as três ou todas, dependendo do design que se deseja.

Outras possibilidades

Corte Especial

É possível também personalizar o corte do cartão de acordo com um design exclusivo, criando uma faca especial para cortar de acordo com o desenho desejado. Esta opção é mais cara, mas é a mais moderna e inovadora, como já mostramos neste outro post.

Relevo

Alguns cartões podem receber o acabamento de relevo para explicitar uma logomarca, ou destacar alguma informação/imagem relevante à empresa. Nesse caso, é preciso papel de gramatura alta (acima de 180 g) para que seja feita a aplicação.

Hot Stamping

O hot stamping é um processo que utiliza calor e pressão, similar a um processo de tipografia, para ‘metalizar‘ um elemento no cartão. É utilizado para pequenos detalhes, como logotipo ou destaque de pequenos textos e imagens.

 

Seja qual for a opção escolhida, é de extrema necessidade que se pense bem no que deseja para o acabamento. Pode parecer de menor importância, mas acaba sendo tanto quanto o layout ou as informações que vão ser disponibilizadas no cartão por afetar o resultado final.

Para saber mais, acesse www.mediatall.com.br e conheça melhor a gráfica que entrega seus cartões de visita em até 24 horas!

Publicado em

Os melhores acabamentos para Flyers e Panfletos

Entre os materiais impressos mais comuns em empresas e lojas, os flyers e panfletos ocupam espaço de destaque na liderança. Por serem pequenos e de fácil distribuição, se tornam ideais na hora de apresentar produtos, serviços ou promoções aos clientes em potencial.

E não é só o design, o texto ou a organização do material que importa na hora de produzir um flyer ou panfleto de qualidade para o seu negócio, seja qual for. Pensar no acabamento, aquela finalização pós-impressão, é de suma importância para determinar o produto final. E cada tipo de impresso exige tratamento diferenciado.

Sobre flyers e panfletos

O que é exatamente um flyer? Impressos pequenos, geralmente em papel de tamanho A5 ou A6, os flyers recebem esse nome justamente pela facilidade de alcançar um grande número de pessoas em pouco tempo. Costumam ser usados para destacar promoções e serem distribuídos nas ruas, garantindo que bastante gente vá ter acesso ao seu material. Pelo tamanho reduzido, é preciso limitar o texto e ater-se a palavras de ordem imperativa para chamar o público à ação. O uso de cores e imagens de destaque também é de bom tom, pois chamam a atenção para ele.

O que é exatamente um panfleto? De tamanho um pouco maior que o flyer, o panfleto costuma ser impresso em folha de tamanho A4, com frente e verso. Por ter mais espaço, permite detalhamento maior do conteúdo a ser divulgado e, consequentemente, quantidade e variedade de informações superiores ao flyer. Apesar disso, também costuma buscar a chamada para ação do leitor, embora não se atenha tanto a promoções ou outras possibilidades mais imediatas.

O que é o acabamento?

O acabamento é o processo de finalização do material, feito após a impressão e que dá o toque de qualidade que falta e garante a atratividade. É uma parte bastante delicada da produção, já que exige bastante cuidado para não estragar o impresso. Entre as possibilidades de acabamento estão a laminação, o corte e vinco, a aplicação de verniz, o estampamento, o relevo seco, a encadernação… mas vamos descobrir os melhores para flyers e panfletos!

Refile

O refile, também chamado simplesmente de corte, é justamente a parte de cortar o material para adequá-lo às especificações de dimensão. É o mais comum de todos os acabamentos, mas não deixa de ser fundamental, já que se for mal feito pode gerar complicações para o impresso. O refile elimina margens, marcas de impressão e define o tamanho final do flyer ou folheto. Por estar presente em quase tudo, costuma não gerar custo adicional e não é incluído nos orçamentos.

Verniz

A aplicação de verniz também é bastante usada em flyers e panfletos. Chamado também de ‘coating’, pode ser aplicado em todo o material ou apenas em um pedaço – o verniz localizado. É feito na própria impressora offset muitas vezes. Serve como forma de proteger o material e dar brilho a ele, sendo mais comumente aplicado nestes produtos de baixa gramatura. Aplicas-se uma tinta de alto brilho e adiciona beleza ao impresso.

Laminação

A laminação também pode ser usada, e consiste na aplicação de uma película plástica no papel. Ela pode ser brilhante ou fosca e é aplicada em ambos os lados, fornecendo proteção ao material. A fosca é mais utilizada e promove uma sensação boa ao tocar o impresso.

 

E não se esqueça: o Natal já está aí, mas ainda dá tempo de imprimir seu flyer ou panfleto com a MediaTall, que entrega em 24 horas! Acesse www.mediatall.com.br para maiores informações sobre a produção de materiais impressos e o nosso serviço.

Publicado em

Acabamento: o que é blocagem?

Tipo de acabamento bastante popular, a blocagem é um método de encadernação para finalizar o material impresso à base de cola ou perfuração, após a impressão e refile, como forma de unir as folhas soltas. Para isso, as folhas avulsas são reunidas e coladas na lombada. É, literalmente, o processo de fazer ‘blocos’: cadernos, livros, blocos de anotações e rascunhos, os hoje ultrapassados guias telefônicos, etc. O objetivo é deixar tudo mais organizado para quem for usar e com facilidade para destacar cada página.

O exemplo clássico do uso de blocagem através de cola é o calendário. O processo é usado nesse tipo de aplicação por favorecer o descarte de folhas após o uso – acabou o mês, é só tirar a folha e passar para o próximo sem precisar rasgar o material. Já a perfuração (ou serrotagem) é mais vista em livros, com a costura para juntar as páginas.

O acabamento é o toque final do produto. Reúne todas as atividades feitas após a impressão Hora em que são feitos os últimos detalhes pós-impressão para que tudo fique da maneira exata que o cliente pediu. É o momento em que também são feitos processos mais decorativos, como a laminação, o estampamento, o revestimento e a aplicação de verniz, entre outros. Por isso, é fundamental dar a devida atenção a essa parte derradeira da criação.

 

Como usar a blocagem em seu negócio?

Você pode aproveitar a blocagem de diversas maneiras na sua empresa. Primeiramente, os blocos de notas são sempre úteis para qualquer funcionário de qualquer setor. Seja na hora do brainstorm, ou para simples anotações do dia a dia. Ao receber aquele telefonema importante é sempre bom que cada um tenha o seu bloco ao alcance.

Os calendários já vêm há algum tempo ganhando espaço na hora de escolher lembranças de fim de ano. E, na visão de comunicação estratégica da atualidade, não basta contemplar os colabores internos com o agrado, é preciso também lembrar de todo o grupo de stakeholders: as famílias dos funcionários, os fornecedores, os distribuidores e todos aqueles que ajudam a fazer o seu negócio funcionar de alguma maneira. Brindá-los com um calendário – seja o mais simples ou o mais elaborado – do ano seguinte na época das festas serve como forma de mostrar gratidão ao grupo inteiro.

Outra possibilidade é na criação de revistas corporativas – cerca de 40% das revistas, entre todos os tipos, são finalizadas com blocagem. Se você procura um meio de se comunicar com clientes, colaboradores e seu público em geral, uma pequena magazine pode dar conta do recado de modo bastante satisfatório.

No setor contábil, os recibos e talões de nota fiscal também são produzidos através de blocagem. Ou seja, não faltam meios de usar o processo de blocagem na sua empresa – qualquer produto que precise de uma organização e de fácil descarte de folhas se insere aqui.

Parar criar um material adequado a ser finalizado desta forma, uma dica útil é evitar colocar imagens e informações relevantes muito próximas da esquerda ou topo da página, onde, geralmente, vai ficar a lombada. Obedeça sempre as regras de margens e sangrias, que já falamos neste outro post.

Para saber mais sobre os processos de impressão e todas as alternativas a seu dispor, consulte www.mediatall.com.br.