Cuidados na criação de sua identidade visual

Não há dúvidas de que a criação e o estabelecimento uma identidade visual é de grande importância para qualquer empresa no mercado de hoje. Por incrível que pareça, muita gente ainda acredita que isso se resume a criar um logotipo para a marca, mas a verdade é que vai muito além.

Existem diversos outros elementos que podem ser usados – não apenas no logo -, com o objetivo de gerar reconhecimento de marca perante o público em geral. E esse é o grande ponto da necessidade do desenvolvimento de uma identidade clara e própria: fazer com que as pessoas possam reconhecer sua você ou sua empresa rapidamente e até mesmo subconscientemente.

A identidade visual de um negócio inclui, além do logo, elementos como:

  • a paleta de cores a ser usada constantemente
  • os tipos de fonte preferíveis
  • a disposição de tudo em um determinado design – padronização de peças impressas e web
  • entre vários outros itens.

Cuidados no momento da criação da identidade visual

Conheça seu público-alvo

É preciso conhecer a fundo seu público-alvo e o tipo de clientela que deseja alcançar com a comunicação visual da marca. Através de pesquisas de opinião ou comportamento pode-se chegar a conclusões sobre quem é mais atingido pela empresa, com dados demográficos como gênero, faixa etária, nível de renda, hábitos de consumo e até nichos mais específicos que vão determinar a melhor maneira de se comunicar visualmente com eles.

Se você lida com crianças, naturalmente tons pastel costumam ser mais usados. Um público predominantemente feminino exige o uso de cores diferentes de um mais masculino. E assim por diante.

Saiba como quer ser percebido

Conhecer o público-alvo é importante, mas saber quais são os seus objetivos com a marca e como você se vê – e quer ser visto – é tão fundamental quanto. A percepção das pessoas é determinante para o sucesso do empreendimento, já que a velha e batida frase ‘percepção é realidade’ nunca deixou de ser verdadeira.

Em marketing, percepção é valor. E tudo que uma marca deseja é que sua clientela a veja com valor.

Empresas que buscam ser vistas como sérias, austeras e procuram entrar no mercado de classes altas ou luxo, por exemplo, tendem a usar tons escuros, justamente pela sobriedade que impõem – o preto é muito usado por quem deseja se apresentar como exclusivo. Já quem lida com público infanto-juvenil costuma se voltar para cores alegres, jovens e bastante chamativas – de preferência tons quentes.

Desenvolva sem medo

O processo de criação de identidade visual deve seguir uma orientação da marca e o posicionamento que ela deseja. É preciso ficar atento para combinações e possibilidades junto ao designer responsável, sempre se baseando no que a empresa deseja transmitir ao público. Por isso, o planejamento é tão importante – junto ao sempre necessário briefing para deixar o responsável pelo desenvolvimento por dentro das intenções da empresa.

Não é errado dizer que hoje em dia menos é mais. Ou seja, ao invés de tentar elaborar uma identidade muito complexa e cheia de elementos, talvez focar em apenas duas cores que reproduzam bem a marca visualmente e procurar diferentes composições possíveis com ela venha a ser a melhor escolha.  Tudo tendo em mente que a meta é ser reconhecida imediatamente pelo público quando verem algo seu: embalagem de um produto, um panfleto de promoções, banner corporativo, ou um simples cartão de visitas.

Após a definição e elaboração final da identidade visual da marca, já é possível passar a usá-la em toda a comunicação corporativa. E na hora de fazer uma campanha de marketing com materiais impressos também é importante escolher com cuidado a gráfica onde vai imprimi-los. Afinal, a garantida de qualidade é fundamental para que os aspectos visuais determinados saiam como o esperado no papel.

banner-flyers